sexta-feira, 31 de julho de 2009

Blues Etílicos CD

Marcadores:

quinta-feira, 30 de julho de 2009

1024 x 768

Marcadores:

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Wallpaper

Marcadores:

terça-feira, 28 de julho de 2009

Papel de Parede

Marcadores:

segunda-feira, 27 de julho de 2009

CHiPS - Abertura do Seriado na TV

Marcadores:

domingo, 26 de julho de 2009

Comercial Vivo 3G - Conectado você pode mais - Conexão como nenhuma outra - Pai e Filho

Marcadores:

sábado, 25 de julho de 2009

Dicionário Houaiss: Videoalarme

n substantivo masculino
Rubrica: termo aeronáutico, tecnologia.
aparelho semelhante a uma televisão portátil que, instalado numa cabina de avião, sinaliza qualquer objeto voador, por pequeno que seja, em rota de colisão, ordenando simultaneamente ao piloto, através de um comando vocal, que se desvie, orientando-o sobre qual rota seguir, a fim de evitar o desastre

Marcadores:

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Teodoro e Sampaio - Pitoco

Marcadores:

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Gravação de vídeo

Gravação de vídeo é o processo de gravação de imagens fixas ou em movimento por meios eletrônicos em vez de fotoquímicos, como no caso do filme fotográfico.

As técnicas utilizadas para gravar imagens numa fita de vídeo são semelhantes às utilizadas para a gravação e reprodução de som. Os sinais elétricos procedentes de uma câmara de televisão (ou de uma câmara de televisão através de um receptor de televisão) são armazenados como seqüências de zonas magnetizadas de óxido férrico sobre uma fita magnética. Ao reproduzir-se a fita gravada, regeneram-se os sinais originais. Esses sinais podem então ser difundidos mediante uma antena emissora ou por cabo aos receptores de televisão capazes de traduzi-los em imagens e sons. Os videodiscos se desenvolveram como resposta ao elevado custo da fita magnética, nos anos 60 e no início dos 70. Os discos não-magnéticos costumam permitir unicamente a reprodução de material pré-gravado, mas uma de suas vantagens sobre a fita é o rápido acesso a qualquer setor da gravação.


Microsoft ® Encarta ® Encyclopedia 2002. © 1993-2001 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.

Marcadores:

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Música afro-americana

Música afro-americana

1 INTRODUÇÃO

Música afro-americana, música dos africanos vendidos como escravos nas Américas e de seus descendentes. No início, a música afro-americana, nos Estados Unidos, conciliava práticas musicais africanas com o vocabulário e as estruturas da música euro-americana. Abrangendo cantos de trabalho, de invocação, vozes do campo e da rua, gritos, versos rimados e spirituals, essa música servia como forma eficaz de regular o ritmo de trabalho dos escravos, como canto de prece e louvor, como código secreto de comunicação grupal e como alívio psíquico da opressão do cativeiro.

Muitos dos cantos de trabalho utilizavam o padrão africano de chamada e resposta: um líder musical do grupo dava a linha da melodia e os outros respondiam com o refrão. Esse padrão, assim como uma série de melodias africanas atuais, também foi incorporado pelo spiritual afro-americano. Tanto o spiritual como o blues, um tipo de canto folclórico profano para solo, foram enriquecidos pela liberdade africana de improvisar variações na linha melódica. É também herança africana a produção de sons polirrítmicos com os tambores, combinando simultaneamente diversos padrões rítmicos de diferentes compassos. A interação de ritmos contrastantes foi ainda transportada para um estilo musical afro-americano mais recente, o jazz.

Embora a música sacra — o spiritual — fosse a variedade afro-americana mais difundida no início do século XIX, a música profana também se fazia presente. Assim como os spirituals, os cantos de trabalho, as invocações e os gritos eram entoados a capela, outras canções profanas eram acompanhadas por instrumentos. Os primeiros instrumentos usados pelos escravos foram o tambor e o banjo, originário da África. Mais tarde, foram incorporados a flauta, o violino e o violão. Estes geralmente integravam as bandas de instrumentos de corda que forneciam música para as danças afro e euro-americanas do século XIX: gigas, reels (dança em que os casais, posicionados em duas fileiras paralelas, fazem uma série de passos), o buck-and-wing (tipo de sapateado, com movimentos bruscos dos pés e das pernas), cotilhões e quadrilhas. Alguns instrumentos improvisados — como flautas de caniço, violoncelos feitos com tinas, e simples vasos — também eram usados nas bandas de cordas.

2 O JAZZ E SEUS ANTECESSORES

Após a guerra civil norte-americana, os versos rimados e as baladas tornaram-se populares e o blues começou a assumir sua forma atual. A música dos espetáculos com cantores caracterizados de negros (os black minstrel shows), as bandas de instrumentos de corda, os conjuntos de metais e os pianos mecânicos passaram a chamar atenção e gêneros como o cakewalk (dança que consistia de um casal de mãos dadas, inventada provavelmente por escravos que parodiavam as atitudes dos seus amos) e o ragtime surgiram pouco a pouco. Tendo aparecido no sul e no centro-oeste dos Estados Unidos, o ragtime alcançou sua forma clássica na década de 1890, em Saint Louis, no estado do Missouri, que foi a escola dos pianistas do gênero, liderados por Scott Joplin. Na primeira década do século XX, as práticas musicais dos negros se uniram para formar uma nova música denominada jazz que, tendo surgido em Nova Orleans, espalhou-se posteriormente por todo o país. Entre os inovadores de jazz mais importantes da primeira metade do século XX encontram-se Louis Armstrong, Fletcher Henderson, Billie Holiday, Duke Ellington e Dizzy Gillespie.

3 MEADOS DO SÉCULO XX

Na década de 1940, o estilo rhythm and blues desenvolveu-se como uma combinação dos blues rurais com o swing das big bands voltadas para o público negro, sendo interpretado por pequenos conjuntos formados por um vocalista ou instrumentista principal e as partes de ritmo e acompanhamento. Os pioneiros e responsáveis pela popularização do rhythm and blues foram T-Bone Walker, Little Walter, Louis Jordan, Fats Domino, James Brown, Ray Charles e Ruth Brown. Desde os anos 1950, o rhythm and blues é a grande fonte da música negra, bem como do rock e da música popular norte-americana.

A soul music foi um desenvolvimento posterior do rhythm and blues. Em sua essência, é uma combinação do som do rhythm and blues da década de 1950 com as técnicas, os efeitos e os procedimentos de interpretação emprestados pela música gospel dos negros. Possui dois subestilos principais: o de Detroit, polido e sofisticado, associado ao rótulo Motown, seguido por artistas como Stevie Wonder, The Supremes e The Temptations; e o estilo de Memphis e do Tennessee, mais simples, mais orientado para o gospel, representado por Otis Redding e por Booker T. e os MGs. O movimento gospel negro iniciou-se com as primeiras apresentações de algumas igrejas protestantes, de comunidades negras, e com as canções publicadas do pastor da Filadélfia Charles A. Tindley. Utilizando os recursos dos cantos de trabalho, das invocações, dos gritos, dos spirituals, do blues e do jazz, a música gospel negra foi desenvolvida integralmente pelo compositor de hinos religiosos Thomas A. Dorsey e pela cantora Roberta Martin. Como intérpretes famosos da música gospel, podem ser citados Mahalia Jackson, The Clouds of Joy, James Cleveland e Andrae Crouch e The Disciples.

Na década de 1970, uma nova forma musical, denominada rap, surgiu nas ruas de Nova York. Lançado pelo grupo The Sugar Hill Gang em 1979, Rapper's Delight foi o primeiro sucesso do novo gênero musical. Fazendo uso de trechos de gravações de funk e hardrock e tendo uma miscelânea de sons como fundo, os intérpretes de rap entoavam dísticos rimados, em geral sobre a vida nos guetos. Foi na década de 1980 que a música se espalhou pelos Estados Unidos, enquanto o público jovem respondia às palavras duras dos cantores de rap sobre injustiça social, racismo e uso de drogas. No final dos anos 1980 e início dos anos 1990, alguns rappers estiveram envolvidos em muita polêmica, acusados de carregar demais no preconceito racial e sexual em suas canções.

4 INFLUÊNCIA LATINO-AMERICANA

As relações da música latino-americana com a música dos negros dos Estados Unidos mostram-se mais evidentes no predomínio dos tempos fracos, comum a ambas. No período entre 1900 e 1940, algumas danças latino-americanas — como o tango (Argentina), o merengue (República Dominicana) e a rumba (Cuba) — foram introduzidas nos Estados Unidos. Na década de 1940, iniciou-se uma fusão de elementos latinos com elementos do jazz; o estímulo veio do mambo afro-cubano e da bossa nova brasileira. O final da década de 1960 trouxe uma mistura de música latina com soul music — notavelmente a partir de Mongo Santamaria e Willie Bobo — e o reconhecimento da salsa, de Cuba e Porto Rico, como um gênero importante. Invertendo a direção das influências, a música afro-americana dos Estados Unidos também provocou algumas fusões musicais no Caribe, na América Latina e na África, dando origem ao reggae jamaicano e a seus antecessores — ska e rocksteady — e ao highlife africano (ver Música africana).

5 MÚSICA PARA CONCERTOS E RECITAIS

Os negros das Américas muito contribuíram, como compositores e intérpretes, para a música de concertos e recitais, de tradição européia, nas Américas do Norte e do Sul.

Marcadores:

terça-feira, 21 de julho de 2009

Casa da Música


Casa da Música, upload feito originalmente por alfonstr.

Marcadores:

segunda-feira, 20 de julho de 2009

emílio Santiago: Verdade Chinesa

Era só isso
Que eu queria da vida
Uma cerveja
Uma ilusão atrevida
Que me dissesse
Uma verdade chinesa
Com uma intenção
De um beijo doce na boca...

A tarde cai
Noite levanta a magia
Quem sabe a gente
Vai se ver outro dia
Quem sabe o sonho
Vai ficar na conversa
Quem sabe até a vida
Pague essa promessa...

Muita coisa a gente faz
Seguindo o caminho
Que o mundo traçou
Seguindo a cartilha
Que alguém ensinou
Seguindo a receita
Da vida normal...

Mas o que é
Vida afinal?
Será que é fazer
O que o mestre mandou?
É comer o pão
Que o diabo amassou?
Perdendo da vida
O que tem de melhor...

Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar
Deixa, prá amanhã
Tem muito tempo
O que vale
É o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração...

(Repetir a letra)

(Final):
Senta, se acomoda
À vontade, tá em casa
Toma um copo, dá um tempo
Que a tristeza vai passar...
Deixa, prá amanhã
Tem muito tempo
O que vale
É o sentimento
E o amor que a gente
Tem no coração...(2x)

Marcadores:

domingo, 19 de julho de 2009

Dicionário Houaiss: Musicalidade

n substantivo feminino
1 caráter, qualidade ou estado do que é musical
Ex.:
2 talento ou sensibilidade para criar ou executar música
Ex.: alguns alunos demonstram m. maior que outros
3 sensibilidade para apreciar música; conhecimento musical
Ex.: um público de reconhecida m.
4 expressão do talento musical de alguém
Ex.: tem desenvolvido sua técnica e não lhe falta m. para se exprimir
5 cadência harmoniosa; ritmo
Ex.: a m. do falar nordestino

Marcadores:

sábado, 18 de julho de 2009

Música

Música

1 INTRODUÇÃO

Música é o movimento organizado de sons através do tempo. A música desempenha um papel importante em todas as sociedades e existe numa grande quantidade de estilos, característicos das diferentes regiões geográficas ou das épocas históricas.

2 DEFINIÇÕES CULTURAIS

Todas as culturas conhecidas desenvolveram sua própria música, mas somente algumas línguas têm uma palavra específica para ela. Na cultura ocidental, costuma definir-se a música como uma arte que trata da combinação de sons com o fim de produzir um artifício que possua beleza ou atrativo, que siga algum tipo de lógica interna e mostre uma estrutura inteligível. Fica claro assim que a música não é fácil de definir, ainda que historicamente a maioria das pessoas tenha reconhecido o conceito de música e concordado sobre se um som determinado é ou não musical.

O contexto social dos sons pode determinar se estes serão definidos como música ou não. Por exemplo, os ruídos industriais não costumam ser considerados música, exceto quando se apresentam como parte de uma composição controlada por um indivíduo criativo. No entanto, durante os últimos 50 anos, as novas estéticas da música ocidental têm desafiado esta concepção. Compositores, como John Cage, produziram obras nas quais o ouvinte é convidado a escutar música a partir de sons ambientais à volta.

3 A MÚSICA COMO SISTEMA CULTURAL

Dentro de cada música podem coexistir diferentes estratos, que se distinguem pelo grau de aprendizagem (músicos profissionais versus amadores), o nível social (a música de uma elite versus à das massas), o mecenato (a corte, a Igreja ou estabelecimentos públicos comerciais) e a maneira de difundi-la (oralmente, por notações ou através dos meios de comunicação). No Ocidente e em certas culturas da Ásia, é possível distinguir três níveis básicos. O primeiro é formado pela música artística ou clássica, composta e interpretada por profissionais e que em suas origens estava sob os auspícios do mecenato das cortes e estabelecimentos religiosos; o segundo, a música folclórica que os povos compartilham especialmente em seu componente rural e que se transmite de forma oral; e o terceiro, a música popular, interpretada por profissionais, difundida por rádio, televisão, discos, filmes e imprensa e consumida em massa pelo público urbano.

4 A FUNÇÃO DA MÚSICA

A música tem diferentes funções e, em algumas sociedades, certos eventos seriam inconcebíveis sem ela. É um dos componentes principais dos serviços religiosos, dos rituais profanos, do teatro e de todo tipo de entretenimentos. Em muitas culturas é uma atividade que também pode desenvolver-se por si própria, como na audição de concertos, nas emissões de rádio ou nas gravações. Por outro lado, também existe música como parte de um fundo adaptável para atividades não musicais.

Ela pode representar idéias ou eventos extramusicais, ou pode ilustrar idéias que se apresentam verbalmente nas óperas, no cinema e nos dramas televisivos e, amiúde, nas canções. Também simboliza os sentimentos militares, patrióticos ou fúnebres. Num sentido mais amplo, a música pode expressar os valores sociais centrais de uma sociedade.

5 REGIÕES MUSICAIS

Cada cultura tem sua própria música. As tradições clássicas, folclóricas e populares de uma região costumam estar muito relacionadas entre si e são facilmente reconhecíveis como parte de um mesmo sistema. Os povos do mundo podem agrupar-se musicalmente em várias grandes áreas, cada qual com seu dialeto musical característico. Estas áreas são: Europa e Ocidente; o Oriente Médio e o norte da África; Ásia Central e o subcontinente da Índia; o Sudeste Asiático e Indonésia; Oceania; China, Coréia e Japão; e as culturas indígenas da América. Todas coincidem vagamente com as relações culturais e históricas.

Marcadores:

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Chocolate

Chocolate é um alimento que se obtém a partir do fruto do cacaueiro, o cacau, utilizado como condimento e como ingrediente em diversos tipos de doces e bebidas. Os astecas foram os primeiros consumidores do cacau. Os espanhóis, na época da conquista do México, introduziram o chocolate na Espanha. Quase um século depois, ficou conhecido no resto da Europa.


Microsoft ® Encarta ® Encyclopedia 2002. © 1993-2001 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.

Marcadores:

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Dicionário Houaiss: Guloseima

n substantivo feminino
m.q. gulodice ('iguaria apetitosa')

Marcadores:

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Conselho para a Alimentação Mundial

Conselho para a Alimentação Mundial

Conselho para a Alimentação Mundial, organização internacional cujos principais objetivos são incentivar os governos e a comunidade internacional a adotarem as políticas e os programas necessários para atenuar a fome no mundo. Foi criada em 1974 pela Assembléia Geral das Nações Unidas e é composta pelos ministros da Agricultura de 36 estados-membros da África, Ásia, América Latina, Europa e América do Norte. Tem sede em Roma.

Marcadores:

terça-feira, 14 de julho de 2009

mesa de guloseimas simples

Marcadores:

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Brigadeiro


Brigadeiro, upload feito originalmente por Lelé.

Marcadores:

domingo, 12 de julho de 2009

DICA: DEIXE SEU CABELO ONDULADO MARAVILHOSO

Marcadores:

sábado, 11 de julho de 2009

Dica: Publique Sua Tese

Publique sua tese

saiba mais ao clicar no liknk

Marcadores:

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Dica do Dia: Fuzilando - O Seu Mau Humor!

Integrante do grupo Comédia na Cara, Tortorelli se une à dupla de apresentadores da Rádio Transamérica em mais um stand-up comedy. Piadas leves surgem a partir do improviso do trio, que também assina a direção.

Serviço:

Teatro Shopping Frei Caneca

  • Endereço Rua Frei Caneca, 569 ,(Shopping Frei Caneca)
  • Bairro Centro
  • Tel. 3472-2229
  • Estac. c/ manobrista
  • Horário bilheteria 13h/19h (ter. a sáb.); a partir das 10h (dom.).
  • Sessões: Sexta, 23h59. Até 31 de julho.
  • Venda de ingressos:
    Ingresso Rápido
  • Preço:R$ 40,00.
  • Duração:80min.
  • Censura:12 anos
  • Lugares: 600
  • Em cartaz até:31/7/2009

Marcadores:

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Dicionário Houaiss: Dica

n substantivo feminino
Regionalismo: Brasil. Uso: informal.
informação ou indicação boa; plá, pala

Marcadores:

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Dica de Show: Renato Braz e Cláudio Nucci

http://www.sescsp.org.br/sesc/programa_new/mostra_detalhe.cfm?programacao_id=154496

Marcadores:

terça-feira, 7 de julho de 2009

QUAL É A CIDADE MAIS ANTIGA DO MUNDO QUE AINDA EXISTE?

 

Jericó. Ela fica na Cisjordânia, no meio dos conflitos entre palestinos e israelenses, uma região tumultuada demais para uma velha senhora. Citada tanto no Velho quanto no Novo Testamento, a cidade foi destruída e abandonada várias vezes e estudos recentes mostram que ela pode ter mais de 10 000 anos. O sítio arqueológico onde ficava a antiga Jericó está a meio quilômetro da moderna e tem apenas poucas ruínas desabitadas. Entre elas, as de uma velha muralha de pedra, construída provavelmente em 8000 a.C. "O muro prova que não se tratava de uma aldeia, mas de uma cidade de verdade", diz o egiptólogo Antonio Brancaglion, da Universidade de São Paulo (USP). Pela extensão da muralha, dá para calcular que cerca de 3 000 habitantes circulavam pelas ruas da Jericó antiga. Nessa disputa por longevidade, Damasco, a capital da Síria, também entra no páreo, com o título de cidade mais antiga que nunca deixou de ser habitada. Escavações comprovam uma ocupação contínua de mais de 5 000 anos.

Dezenas de outras cidades, co idades parecidas, reivindicam o mesmo posto, entre elas, Beirute, no Líbano, Cairo, no Egito, e Sanaa, no Iêmen. Mas, por enquanto, nenhuma conseguiu provar que foi fundada antes de Damasco.

Cádiz, Espanha (1100 a.C.)

Cuzco, Peru (1000 d.C.)

Jenne-jeno, Mali (250 a.C.)

Damasco (3000 a.C.)

Bagdá (762 d.C.)

Jericó (8000 a.C.)

Marcadores:

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Chave de Ativação do Nero 8


1K22-0867-0795-66M4-5754-6929-64KM

4C01-K0A2-98M1-25M9-KC67-E276-63K5

EC06-206A-99K5-2527-940M-3227-K7XK

9C00-E0A2-98K1-294K-06XC-MX2C-X988

4C04-5032-9953-2A16-09E3-KC8M-5C80

EC05-E087-9964-2703-05E2-88XA-51EE

Elas devem ser inseridas da seguinte maneira:

1 Abra o control center (Inicial/Programas/Nero 8/Nero Toolkit/Nero controlcenter)
nunca deixe ele atualizar nada! 

2 Clic em: Licença 

3 Clica na licença que já esta lá dentro e em remover 

4 Clica em adcionar 

5 Copie e cole a primeira licença que postei acima e repita com as outras 5

Marcadores:

domingo, 5 de julho de 2009

POR QUE OS COMPUTADORES TRAVAM?

Há várias razões. Os computadores são máquinas complexas, que podem ser usadas para uma enorme variedade de coisas. Justamente por isso eles também podem falhar mais. "Filosoficamente falando, os computadores travam por causa da seguinte lei: se existe alguma coisa que pode dar errado, ela fatalmente dará errado alguma hora", diz o programador Mauricio Sadicoff, presidente de uma empresa de software e membro do conselho editorial da agência de tecnologia Magnet. Afinal, os computadores são humanos, no sentido de que quem os faz somos nós e, volta e meia, a gente pisa na bola... Na prática, essas máquinas enfrentam quatro tipos básicos de "paus", que você confere no quadro ao lado.

Falha humana

1. Os "paus" mais comuns são na programação do sistema operacional, o cérebro da máquina. O sistema muitas vezes ordena que o computador use um pedaço da memória que não poderia, pois já está ocupado. Resultado: a famigerada "falha geral de proteção" do Windows

2. Também existem falhas em um "programa específico". Os programadores, sem querer, fazem o programa estourar a capacidade de memória reservada para uma tarefa ou dão instruções descabidas aos chips do computador

3. Outro tipo de problema é de hardware, ou seja, nos componentes físicos do computador. Nem sempre panes desse tipo exigem que se leve o micro para o conserto. Muitas travadas ocorrem por leves falhas nos chips de memória, como o excesso de aquecimento do processador, por exemplo

4. Há ainda o chamado "loop infinito", quando o computador fica executando sempre as mesmas instruções. É um erro de programação equivalente a perguntar incessantemente para o computador: "Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?"

Marcadores:

sábado, 4 de julho de 2009

Dell Mini 9


Dell Mini 9, upload feito originalmente por Jeff Coleman.

Marcadores:

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Dic. Houaiss: Computador

 substantivo masculino
1 o que computa; calculador, calculista
2 Rubrica: informática.
máquina destinada ao processamento de dados; dispositivo capaz de obedecer a instruções que visam produzir certas transformações nos dados, com o objetivo de alcançar um fim determinado

Marcadores:

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Instituto de psicologia da USP

{{pt|Instituto de Psicologia da Universidade d...Image via Wikipedia


Inst. de Psic. da Univ. de S. Paulo.

Reblog this post [with Zemanta]

Marcadores:

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Dicionário Houaiss: Psicotrópico

n adjetivo e substantivo masculino
Rubrica: psicologia, medicina.
que ou o que atua quimicamente sobre o psiquismo, a atividade mental, o comportamento, a percepção etc. (diz-se de medicamento, droga, substância etc.) [Alguns psicotrópicos têm efeito sedativo, calmante ou anti-depressivo; outros, esp. se us. indevidamente, podem causar perturbações psíquicas.]

Marcadores: