Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2007

Lançamentos

O Atentado
272 págs., R$ 35
de Harry Mulisch. Tradução de Cristiano Zwiesele do Amaral. Ed. José Olympio (r. Argentina, 171, 1º andar, CEP 20921-380, RJ, tel. 0/ xx/ 21/ 2585-2070).
As transformações da Holanda no pós-guerra são o tema deste romance do escritor Harry Mulisch (1927), já adaptado para o cinema. O longa de 1986 ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro.

O Choque do Real
240 págs., R$ 29
de Beatriz Jaguaribe. Ed. Rocco (av. Presidente Wilson, 231, 8º andar, CEP 20030-021, RJ, tel. 0/xx/21/ 3525-2000).
Os novos códigos realistas na fotografia, no cinema e nos meios de comunicação são investigados em seis ensaios da professora da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Maconha, Cérebro e Saúde
176 págs., R$ 22
de Renato Malcher-Lopes e Sidarta Ribeiro.
Ed. Vieira & Lent (r. Senador Dantas, 118, conjunto 407, CEP 20031-201, RJ, tel. 0/xx/21/ 2262-8314).
Os pesquisadores discutem os mecanismos de ação da maconha no cérebro e no corpo, analisando os riscos de…

DUPLO CLIQUE PATENTEADO

Imagem
Imagine se, toda vez que você clicasse duas vezes para abrir um arquivo ou acessar um link, Bill Gates ganhasse alguns dólares a mais. Pois isso está prestes a acontecer.A Microsoft recebeu, nos Estados Unidos, a aprovação da patente do duplo clique, aquele comando que serve para acionar praticamente tudo no mundo da computação. A empresa diz ter inventado "um método que estende a funcionalidade dos botões de um computador de recursos limitados". Traduzindo: o botão do mouse, como todo botão, serve para ser apertado uma vez. Se o genial Bill Gates "inventou" que você pode apertá-lo duas vezes, ele tem direito de cobrar por isso. "Estou segura de que essa patente será anulada porque ela não é inovadora", diz Daniela Zaitz, especialista em propriedade intelectual. Os outros fabricantes americanos de software, como Adobe, IBM e Apple, também estão contando com isso. Caso contrário, eles vão ter de "inventar" um novo jeito de usar o mouse.

E o IgNobel vai para...

Imagem
A seguir, alguns dos ilustres ganhadores. Gênios incontestáveis, para o bem, para o mal, ou simplesmente para o mais completo ridículo.

1991

Biologia
Robert Graham, porque inventou um banco de sêmen que aceitava doações de esperma de ganhadores do outro prêmio, o Nobel (o de verdade). A idéia até parece boa, mas soa como um segregacionismo aos modos de Hitler. Além disso, o fato de ter sido gerado com o sêmen de um gênio não significa que uma criança receba como "herança" essa virtude.

Paz
O físico Edward Teller, por ter criado a bomba de hidrogênio americana. Teller também é o mentor do programa "Guerra nas Estrelas" de defesa espacial contra mísseis balísticos.

Economia
Michael Milken, operador da Bolsa de Valores de Nova York, que criou ações fantasmas e faturou milhões de dólares até ser descoberto. Por isso, foi condenado a 20 anos de cadeia e não pôde ir receber o prêmio.

1992

Medicina
Uma equipe japonesa do Centro de Pesquisa Shisedo, de Yokohama, pelas valiosas pesqu…

O Começo de Tudo - Final

Imagem
QUANDO SURGIU O PÃO?
Esse alimento nasceu com a própria agricultura, há cerca de 12 000 anos, quando começaram a ser cultivadas as plantas com grãos. "Os pães mais antigos provavelmente eram feitos de cevada, o primeiro cereal a ser plantado pelo homem", diz o historiador Emanuel Bouzon, da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro. "Os primeiros povos sumérios, na Babilônia, já tinham pão." Inicialmente seco e duro, ele passou a ser cozido após a invenção da cerâmica em 3000 a.C. Mais tarde, em 1800 a.C., os egípcios descobriram como torná-lo mais macio e saboroso. Perceberam que, depois de um certo tempo, a massa umedecida liberava gases, tornando o pão mais poroso. Fizeram um teste: misturaram parte dessa massa fermentada com uma outra fresca. Ela também fermentou. Assim, aprenderam a controlar o processo e a fazer o pão levedado ou fermentado, técnica utilizada até hoje.

O Começo de Tudo - Parte 1

Imagem
QUAL É A ORIGEM DA PIZZA?Seus criadores foram mesmo os italianos. Mas existem várias hipóteses para explicar a chegada do ancestral da pizza à Itália. A principal delas conta que, três séculos antes de Cristo, os fenícios costumavam acrescentar ao pão coberturas de carne e cebola. Só que o pão deles era parecido com o pão sírio, redondo e chato como um disco. A mistura também foi adotada pelos turcos, que preferiam cobertura à base de carne de carneiro e iogurte fresco. "Durante as Cruzadas, no século XI, o pão turco foi levado para o porto italiano de Nápoles", conta o sociólogo Gabriel Bollaffi, da USP. Os napolitanos tomaram gosto pelo petisco e foram aperfeiçoando-o com trigo de boa qualidade para a massa e coberturas variadas, especialmente queijo. Nascia, então, a pizza quase como a conhecemos hoje. Faltava só o tomate, introduzido na Itália no século XVI, vindo da América, e incorporado como ingrediente tão básico quanto o queijo. A mais antiga pizzaria que se conhece…

Epicuro e Epicurismo

Os princípios enunciados por Epicuro e praticados pela comunidade epicurista resumem-se em evitar a dor e procurar os prazeres moderados, para alcançar a sabedoria e a felicidade. Cultivar a amizade, satisfazer as necessidades imediatas, manter-se longe da vida pública e rejeitar o medo da morte e dos deuses são algumas das fórmulas práticas recomendadas por Epicuro para atingir a ataraxia, estado que consiste em conservar o espírito imperturbável diante das vicissitudes da vida.

Epicuro nasceu na ilha grega de Samos, no ano 341 a.C., e desde muito jovem interessou-se pela filosofia. Assistiu às lições do filósofo platônico Pânfilo, em Samos, e às de Nausífanes, discípulo de Demócrito, em Teos. Aos 18 anos viajou para Atenas, onde provavelmente ouviu os ensinamentos de Xenócrates, sucessor de Platão na Academia. Após diversas viagens, ensinou em Mitilene e em Lâmpsaco e amadureceu suas concepções filosóficas. Em 306 a.C. voltou a Atenas e comprou uma propriedade que se tornou conhecida…

Entrevista : Woody Allen

Imagem
O ESPELHO DESCONSTRUÍDO

Woody Allen mal podia esperar, no dia em que concedeu esta entrevista, para ver Titanic. "É uma grande história, uma história fascinante, que sempre se prestou a bons filmes", diz ele, ainda sem ar depois da caminhada que o levou, em passo acelerado, da ilha de edição onde está montando seu futuro filme, Celebrity, até um salão privado do hotel Drake, no East Side de Manhattan, local escolhido para receber BRAVO! (brecha difícil de abrir na sua agenda, conseguida por meio de uma constelação de intermediários). "Eu adorei A Night To Remember, com Kenneth Moore, e sei o quão poderosa a história pode ser quando contada com imagens." Depois de recobrar o fôlego, ele segue: "Não vou deixar de ver só porque custou US$ 200 milhões. Deve haver um bom motivo para isso e eu, como cineasta, posso apreciar a dificuldade que deve ter sido para contar essa história para as platéias de hoje. Não, não esse é um filme que não quero perder". O que Al…

Dica de Português

Retorno a ParatyUma das manchetes sobre a Flip, a Festa Literária Internacional de Parati:- "Booker Prize é uma loteria", irona Kiran Desai em retorno à ParatyO comentário era da indiana Kiran Desai, a mais jovem escritora a ganhar o prêmio literário Booker Prize.O problema da frase é de crase.O acento grave não é usado antes de nomes de cidade não especificados (salvo raríssimas exceções, como Praia Grande).Há uma dica antiga para perceber isso. Basta fazer uma permuta com o verbo "vir".Se o resultado for "venho de" ou "venho do", não há crase: vou ao Japão (= venho do Japão), vou a Piracicaba (= venho de Piracicaba), vou a São Caetano do Sul (= venho de São Caetano do Sul).Só vai haver crase se o resultado for "venho da": vou à França (= venho da França), vou à praça (= venho da praça).Não é esse o caso de Paraty (venho de Paraty). Sem crase, portanto:- "Booker Prize é uma loteria", irona Kiran Desai em retorno a Paraty

Cidades Brasileiras: Sorocaba/SP

Cidade do sudeste do Brasil, no estado de São Paulo, às margens do rio Sorocaba. É um destacado entroncamento ferroviário, situado em uma região em que se produzem cereais, frutos, café, açúcar, madeira e minerais, além de ser um importante mercado de gado e um centro de cultivo de algodão. Em suas indústrias predominam a fabricação e a fiação de algodão e seda, as destilarias, as fábricas de óleo, as indústrias de conservas de frutas e a fabricação de material de tipografia, cimento, fertilizantes, chapéus, calçado e materiais de limpeza. Em seus arredores estão instaladas várias hidrelétricas.População (1991), 373.354 habitantes.Microsoft ® Encarta ® Encyclopedia 2002. © 1993-2001 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.

Prime Time 1970 (Duplo-Clique p/ melhor visualização)

Imagem

Será que os cientistas descobriram a intuição? - Final

Parada da produção de dopaminaO processo possibilita replicar a anatomia da detecção de erro. O que revela é que imediatamente após a onda ERN, o mesencéfalo repentinamente deixa de produzir dopamina. O sinal neuroquímico é transferido para o gânglio basal e conseqüentemente para o sistema límbico, no qual as emoções são geradas.Os pesquisadores também descobriram outro cordão nervoso envolvido na detecção de erro. Ele leva a uma seção profunda do córtex, que então distribui amplamente o sinal no córtex cerebral. "Esta cascata envia os seguintes sinais para as posições executivas: Pare, algo está errado aqui! Cheque de novo e, se necessário, corrija imediatamente", explicou Ullsperger.O neurologista baseado em Colônia também pode demonstrar que as pessoas que cometeram um erro no teste de Flanker demoram mais nas respostas posteriores. "As pessoas mudam sua estratégia de tomada de decisão", ele disse. "Elas começam a aprender com seus erros".Mas o que a q…

Será que os cientistas descobriram a intuição? - Parte 1

Sempre que os seres humanos reconhecem um erro, uma onda misteriosa de eletricidade percorre o cérebro. Os pesquisadores acham que o sinal poderia explicar o vício, a correção de erro e até mesmo o sexto sentido.O estresse é normal para os 5.500 cientistas e engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato. Eles sabem que sempre que tomam uma decisão, mesmo o menor erro pode ter sérias conseqüências.Afinal, as lembranças de 1999 ainda estão frescas. Há oito anos, quando a sonda espacial Mars Polar Lander entrou na atmosfera de Marte, o contato por rádio foi repentinamente perdido. O satélite simplesmente desapareceu das telas do centro de controle. Quatrocentos milhões de dólares foram perdidos.Os dois diretores encarregados do projeto estavam convencidos de que seriam demitidos sem cerimônia. "É como lidamos com erros em nossa cultura", disse Markus Ullsperger. Mas os diretores foram poupados, recordou Ullsperger, um pesquisador de cérebro do Instituto Max Planck de Pesquisa …

RESPIRAÇÃO ZEN

Imagem
Como o Dalai Lama, o monge zen Thich Nhat Hanh tem o dom da clareza. No tom informal de uma conversa de bar, ele traduz para a vida cotidiana as lições da sabedoria oriental em A Essência dosEnsinamentos de Buda (Rocco). Um ensinamento diz: inspire fundo e solte lentamente o ar. Na inspiração, pensar "me acalmo". Na soltura do ar, "sou feliz". Diz a ancestral sabedoria que quem controla a respiração controla a mente. E, num mundo neurótico como o nosso, controlar a mente é vital para a manutenção da saúde física e espiritual.

Wallpaper Para Seu Desktop

Imagem

Wi-Fi

16.Out.1972

Imagem
Há 35 Anos Atrás

Comunicado oficial sobre o término do conjunto musical Creedence Clearwater Revival

DOENÇAS DE CONCRETO E VIDRO - FINAL

Imagem
A origem dos males

68% Ventilação indequada (pouca circulação de ar, suprimento de ar fresco inadequado, controle precário de umidade e temperatura

10% Contaminação externa (gás de escapamentos de veículos

5% Contaminação de embiente interno (fumaça de cigarros, fotocopiadores etc..)

2% Materiais de construção (formaldeído de colas)

15% Causa desconhecidas

DOENÇAS DE CONCRETO E VIDRO - PARTE 3

Imagem
Há quem tente se salvar do sufoco tomando um arzinho lá fora, mas boa parte das pessoas sensíveis a essa clausura acabam mudando de emprego ou somatizando é quando surgem as irritações e doenças nos olhos e nas vias respiratórias. Mesmo quem trabalha próximo a janelas que não se abrem não tem, assim como os outros, o menor controle sobre a temperatura, a ventilação ou a iluminação de seu local de trabalho. "É uma camisa-de-força ambientar", compara Rumel. O sistema de ar-condicionado central, quando distribui o ar à mesma temperatura para todos os ambientes, ignora se de um lado do prédio bate sol o dia inteiro, aquecendo aquele lado, enquanto o outro fica mais frio. Se houvesse descentralização, o pessoal do lado quente simplesmente abriria as janelas, enquanto o pessoal do lado gelado as manteria fechadas. O drama do edifício fechado, para Rumel, é que ninguém consegue adequar o ambiente às necessidades pessoais. Ele próprio, instalado em sua pequena e abarrotada sala no v…

DOENÇAS DE CONCRETO E VIDRO - PARTE 2

Imagem
Os próprios autos de distribuição raramente são limpos, formando-se em seu interior poças de água provocadas pelas diferenças de temperatura mais um moIho no caldo de microorganismos. A situação piora pelo fato de o ar raramente ser renovado totalmente, pois isso significa mais gasto de energia, seja no resfriamento ou aquecimento, nas lufadas de ar fresco para que a temperatura seja constante do lado de dentro. Dessa forma, a fumaça de um cigarro fumado no primeiro andar passeia dias por dentro dos tubos, podendo ir deixar os resíduos tóxicos dez andares acima. Grave o caso se torna quando a entrada de ar fica em lugares absolutamente impróprios, como ao nível de ruas movimentadas ou perto de chaminés.
Histórias assim podem ter final trágico, como aconteceu num hotel da Filadélfia, nos Estados Unidos, em 1976. Um grupo de legionários que participava de uma convenção da Legião Americana foi vitima de um surto de pneumonia, provocada por uma estranha bactéria. Nativa da terra, a bactéri…

DOENÇAS DE CONCRETO E VIDRO - PARTE 1

Imagem
Edifícios modernos com janelas fechadas e ventilação artificial podem ser lugares perigosos para as pessoas. Ar de má qualidade e substâncias tóxicas dentro dos escritórios provocam alergias e infecções respiratórias.
Existem pessoas que têm alergia ao trabalho. Volta e meia sentem dores de cabeça, de garganta, ficam resfriadas, faltam ao emprego. Aversão a serviço? Não, ao prédio. Desde 1983, quando a Organização Mundial da Saúde cunhou o termo Síndrome do Edifício Doente, esses sintomas mais parecidos com uma alergia a escritório passaram a ser considerados como doenças ocupacionais. Só que os doentes não são as pessoas, mas os prédios: os males da síndrome surgem graças ao contaminado meio ambiente em seu interior. Edifícios podem ser lugares insalubres e os mais chiques e moderninhos tendem a ser os mais perigosos. A OMS calcula que um terço dos novos e remodelados edifícios comerciais estejam doentes. Lá dentro, invisíveis, podem conviver ar de má qualidade com ventilação inadequa…

Reflexão do Dia

O homem pune a ação. Deus pune a intenção.
Thomas Fuller

O Segredo da Vida de um Casal

Imagem
Receita do amor que dura: amar o outro não apesar de sua diferença, mas por ele ser diferente
Em geral, , na literatura, no cinema e nas nossa fantasias, as histórias de amor acabam quando os amantes se juntam (é o modelo Cinderela) ou, então, quando a união esbarra num obstáculo intransponível (é o modelo Romeu e Julieta).
No modelo Cinderela, o narrador nos deixa sonhando com um "viveram felizes para sempre", que seria a "óbvia" conseqüência da paixão.
No modelo Romeu e Julieta, a felicidade que os amantes teriam conhecido, se tivessem podido se juntar, é uma hipótese indiscutível. O destino adverso que separou os amantes (ou os juntou na morte) perderia seu valor trágico se perguntássemos: será que Romeu e Julieta continuariam se amando com afinco se, um dia, conseguissem deitar-se juntos sem que Romeu tivesse que escalar a casa de Julieta até o famoso balcão? Ou se, em vez de enfrentar a oposição letal de suas ascendências, eles passassem os domingos em espantosos…

Ian Gillan Band - Scarabus

Let's try Scarabus pie
Leg of dog and lizard's eye
Come into the wizard's lair
Breath of goat and dead man's hair
What do you want to be
I'm the king of sorcery
If you care to serve me true
I'll make some gold for you

Bye, bye enemies five
Only four will stay alive
Come to me if you dare
First the three and then the pair
Here is thunder here is pain
Live as creatures in the rain
Two toads and one a mouse
Go forever from this house

When I am dreaming leave me alone
This is more than living...leave me

Let's try Scarabus pie
Leg of dog and lizard's eye
Come into the wizard's lair
Breath of goat and dead man's hair
Of the two I hate the worst
One's undead forever cursed
The last is turned to stone
Set before my magic throne

QUANDO A FICÇÃO É REALIDADE

Imagem
Não é difícil demonstrar o quanto a literatura enriquece as línguas. Basta lembrar as diversas palavras que nasceram nos livros, para batizar personagens ou lugares imaginários, e acabaram incorporadas à linguagem cotidiana. Um dos melhores exemplos é a Odisséia, poema épico do grego Homero, que teria vivido no século IX a.C. A obra narra as atribuladas aventuras de Odisseu (mais conhecido como Ulisses), que tenta voltar para casa após a Guerra de Tróia. Por dez anos, de ilha em ilha, de naufrágio em naufrágio, ele enfrenta canibais, ciclopes, feiticeiras e monstros marinhos, até conseguir, por fim, retornar a sua amada Ítaca. Poucos, talvez, tenham lido a versão integral desse clássico da Antiguidade, mas os infortúnios e peripécias de seu herói são, até hoje, fonte de expressões como "foi uma verdadeira odisséia voltar da praia nesse feriadão".

Balzaquiana
No século XIX, quando as heroínas da literatura casavam antes de completar 21 anos, o francês Honoré de Balzac causou fu…

GUERRA DIGITAL - FINAL

Imagem
ESCRITÓRIO
Os exércitos:
Corel, Microsoft, OpenOffice, Sun
A batalha: O Office da Microsoft ocupava 94% do campo de batalha dos softs de escritório em 2000. Mas o custo elevado tem feito empresas olharem com carinho para outras opções, como o StarOffice, da Sun
Curiosidade: Outra alternativa é o OpenOffice, bandeira do software livre para software de escritório. Gratuito, tem versões em 42 línguas para Windows, MacOS X e Liunx. E abre arquivos do Office da Microsoft

JOGOS
Os exércitos:
Activision, Atari, Capcom, Electronic Arts, Microsoft, Nintendo, Rockstar, Sega, Sony, Ubisoft, Vivendi...
A batalha: A brincadeira fez girar US$ 23,2 bilhões pelo mundo em 2003. Criatividade e número de títulos são trunfos das editoras e desenvolvedoras de jogos
Curiosidade: Games são os programas de computador mais vendidos representam um terço do faturamento e mais da metade do volume de vendas, segundo o NPD Group

LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO
Os exércitos: Microsoft, Sun, Borlandi...
A batalha: A briga que mais …

GUERRA DIGITAL - PARTE 1

Imagem
O computador, essa incrível (e maldita!) máquina, mudou a vida de muita gente. Há dez anos, era luxo. Hoje, não dá para viver sem ele. Constante camaleão, está sempre evoluindo ícones de ontem (lembra do 486?) viram sucata amanhã. Isso graças a um dos setores mais pulsantes da economia mundial: o da tecnologia. Tão complicada quanto o próprio computador, essa indústria vive sofrendo upgrades e mudando de cara.

YAHOO!
FATURAMENTO:
US$ 1,6 bilhão
EMPREGADOS: 5 500
GENERAL: Jerry Yang
TRUNFO: Ser simples e ir direto ao ponto. Foi um dos primeiros fenômenos da internet ao reunir busca, conteúdo, compras e aplicações num único site

EBAY
FATURAMENTO:
US$ 2,1 bilhões
EMPREGADOS: 982
GENERAL: Meg Whitman
TRUNFO: Virar plataforma de comércio eletrônico. O site de leilões, que virou uma imensa rede de comércio, tem hoje mais de 95 milhões de usuários cadastrados

PALM
FATURAMENTO:
US$ 871 milhões
EMPREGADOS: 982
GENERAL: Eric Benhamou
TRUNFO: Ter chegado primeiro ao mercado de computadores de mão. Criou uma un…

HUMOR E AMOR

O que autores como Miguel de Cervantes, Mark Twain e Felizberto Hernandez têm em comum além da importância para a história da literatura? Cada um à sua maneira, eles deixaram páginas imortais de humor, graça e deboche. Em Os 100 Melhores Contos de Humor da Literatura Universal (Ediouro), o escritor brasileiro Flávio Moreira da Costa organiza um painel do melhor do riso literário em todos os tempos e quadrantes. Ecumênico, o autor da antologia mescla nomes clássicos com escritores brasileiros ainda em atividade. Para ler, rir e pensar.

Pavê light com frutas

Imagem
Ingredientes:

Creme

2 gemas
3 colheres (sopa) de adoçante
2 colheres (sopa) de margarina light
3 xícaras (chá) de leite desnatado
1/2 xícara (chá) de creme de leite light
2 colheres (sopa) de maisena
20 biscoitos champagne

Recheio

2 xícaras (chá) de salada de frutas em conserva

Calda

1 colher (sopa) de margarina light
1 colher (sopa) de chocolate em pó light
3 colheres (sopa) de açúcar

Modo de Preparo:

Creme:
bata na batedeira as gemas, o adoçante e a margarina, até obter um creme esbranquiçado. Junte, aos poucos, 2 xícaras (chá) de leite fervente, batendo com um batedor manual até ficar homgêneo. Incorpore o creme de leite e a maisena dissolvida em 1/2 xícara (chá) de leite e bata por mais dois minutos. Volte ao fogo e cozinhe, sem parar de mexer, ou até o creme encorporar. Retire do fogo e reserve. Coloque a salada de frutas em conserva para escorrer em uma peneira. Calda: Leve ao fogo uma panela com a margarina, o chocolate em pó e o açúcar. Deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, até engrossar.…